sexta-feira, 1 de julho de 2011

Etapas

De uma coisa eu tenho muita certeza, a vida não é injusta conosco. Por mais que eu pense nisso, uma hora a gente coloca a cabeça pra raciocinar e percebe que em qualquer dificuldade há um aprendizado. Isso é fato. E para todas as dificuldades há etapas a serem ultrapassadas.

A primeira é a não aceitação do fato em si, ou seja, você não quer acreditar que aquilo está acontecendo com você. Afinal, justo com você que fez tudo da maneira mais correta possível e que sempre agiu com sensatez? Não é possível.

A segunda etapa é aquela que você começa a acreditar que é possível sim passar por uma determinada situação desagradável, mas que tudo vai se resolver. Você tenta agir com serenidade, mas ainda se descontrola diante dos fatos. Pensa estar vivendo um pesadelo, mas que a qualquer hora você vai acordar.

Até que chega a terceira etapa e de fato você acorda. E o mundo se abre pra você. A dor é inevitável. Nenhuma dificuldade seria dificuldade se não causasse algum tipo de sofrimento. Você procura respostas, procura uma saída, se pergunta por quê.

A quarta etapa é quando os olhos se abrem de vez e sua cabeça compreende que a razão deve prevalecer. Compreender o outro não é tarefa sua, aliás, pode até ser, mas ainda é muito difícil. Cada um é responsável pelos próprios atos e, a partir de então, você tem a verdadeira noção de que cada um responderá pelo sofrimento que causa no outro. Isto sim é inevitável. Não depende de você. E a vida deve seguir.


As pessoas costumam viver o presente lembrando muito do passado e pensando no futuro quando o correto é viver um dia de cada vez. O ontem já foi, já era, nada pode ser alterado. O amanhã ainda não chegou. Feliz é aquele que deita a cabeça no travesseiro com a consciência tranquila, bem tranquila. Me dá um alívio de pensar que posso fazer isso todas as noites.

Misericórdia Deus tem dos que erram, mas que ainda não se dão conta do erro cometido, do arrependimento não sentido, do remorso que costuma chegar tarde demais. Algumas vezes a gente tenta ajudar o outro, facilitando a sua trajetória, mostrando o caminho que causará menos estragos depois. Porém, o livre-arbítrio está aí para isso. As escolhas são individuais.

Então, chega a quinta etapa. Esta se resume numa virada de mesa. Não aquela com sabor de vingança. Há um ditado justo que diz assim "Se você quer ser feliz por alguns instantes, vingue-se. Se você quer ser feliz para a vida inteira, perdoe". E a gente deve, apesar de ser muito difícil, começar a pensar assim. A virada de mesa deve se resumir a uma mudança de comportamento, o seu comportamento diante da vida. Uma chance para você. Novos rumos, novos horizontes, novas possibilidades. Seu papel já foi feito. O resto deixa que a vida cuida.


Um beijo

3 comentários:

Nicky disse...

É isso aí, Ná! "Bola pra frente que o jogo é de campeonato", "a fila anda"... rs Mas, a sério, que bom que existe essa consciência, e as coisas realmente funcionam assim. Que bom que vc passou pelas primeiras etapas sem maiores danos, ainda com a cabeça no lugar para fazer o que considera certo, sem se despedaçar. Tristeza todo mundo sente, raiva também, mas isso passa. Tudo é suportável. O que não é suportável é viver uma vida inteira de mentiras, ou de infelicidade. Isso, não. Um dia a casa cai!
Outro dia li uma frase muito interesante: "Quem quiser nascer tem que destruir um mundo". A cada etapa estamos renascendo, e precisamos destruir o mundo anterior, criar um novo. A cada momento.

Nadia disse...

Agradeça por tudo que passar na vida;e se os momentos forem ruins,não deixe de agradecer por eles também,pois eles servem igualmente ao seu progresso.Veja portanto,o lado bom dos acontecimentos,pois assim tudo se transformará para melhor. Siga em frente, vc será muito feliz. Te amo demais.

Lulu disse...

Antes de mais nada, ainda vou ver minha amiga linda publicando um livro! Sempre fico encantada com sua forma de escrever e juro que não é puxação de saco! rsrsrs
Serei repetitiva pois não tem como não sê-lo. A vida segue, não tem jeito.
Como vc disse, nada vale nossa paz de espírito. O melhor há de chegar e Deus escreve certo por linhas tortas (eu sei, às vezes muito tortas, rs).
Amiga, o tempo é o senhor da razão... e ele sempre vem para acalentar nosso coração agitado com a serenidade necessária para levarmos nossa vida para onde ela deve de fato ir: rumo à nossa felicidade!

Te amo!

Beijos grandões! ;)