quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Cenas de academia

Geralmente, as academias de ginástica lotam quando o verão se aproxima. Mas o pior é que o povo quer um resultado imediato, quase um milagre. Na verdade, as pessoas não querem emagrecer, querem ser emagrecidas. Aí, entram na academia na ilusão de que em um mês tudo vai se resolver.

Em cinco minutos de esteira você começa a conversar com a pessoa ao lado e surgem as dicas mais bizarras para emagrecer. Outro dia, estava eu toda compenetrada nos meus 30 minutos de caminhada, quando uma mulher de 40 e poucos anos puxou papo. No início eu até gostei. Conversando o tempo passa mais rápido. Até que chegou um momento que eu não aguentava mais caminhar com o rosto virado para o lado, olhando para ela o tempo inteiro.

Enfim, a mulher me contou que adora malhar. E que precisa emagrecer porque "engordar é fácil, mas perder é um custo". Então, ela me disse que "fecha a boca", mas não aguenta mais salada e peito de frango grelhado, por isso, recorreu a um médico muito conhecido aqui na região como "doutor caveirinha". Olha só...

Do tal médico eu já ouvi falar. Conheço pessoas que tomaram as fórmulas receitadas por ele e elas emagreceram mesmo. Por sinal, emagreceram muito. Mas é só parar de tomar e a pessoa engorda o dobro. Vale a pena o risco das anfetaminas e sibutraminas?

O pior é que a neurose não acomete só as mulheres. Estava eu no transport quando um senhor, isso mesmo, um senhor puxou papo. "Depois que deixei de fumar, emagrecer ficou mais difícil. Por isso, faço muita ergometria e sigo uma dieta balanceada", disse o coroa. Eu fiz "Aham" com a cabeça e ele continuou: "Já perdi sete centímetros de barriga só por causa desse aparelho". Nesse momento eu percebi que a conversa estava ficando séria. "Meu almoço é chuchu, beterraba, cenoura, muitas folhas e só". Pronto. Eu, que estava iniciando no aparelho, percebi que seriam os 30 minutos mais longos do dia. "Fico duas horas e meia aqui no transport, as meninas não aguentam uma hora. Quem bater meu recorde, eu bato de novo. Quanto tempo você fica?". Nessa altura eu já estava pensando em voltar para a esteira porque não aguentaria esse papo e respondi "Eu tô começando. Só 30 minutinhos" e ele fez uma cara de desdém que me fez acreditar que não seria interessante continuar o papo e assim, por Deus, foi.

Quando terminei o exercício, o dito cujo teve a audácia de perguntar "Já?". E eu, mesmo com a paciência esgotada, respondi educadamente "Sim, senhor, eu malho com tempo cronometrado porque tenho de ir trabalhar". Ele ficou mudo, e eu nem precisei responder como havia pensado antes: "O senhor é aposentado, né? Fica aqui o tempo que for necessário, né? Eu não posso me dar a esse luxo"; Respirei fundo e saí.

O melhor horário pra malhar é de manhã. Pelo menos eu acho. O povo que está ali, tirando o senhor aí de cima, geralmente trabalha depois e fica todo mundo bem concentrado nos exercícios. Pouco vejo meninas paradas na janela conversando e falando mal de alguém. Sem contar que a academia está mais vazia e fresca do que nos outros horários.

Mas não há horário que afaste os narcisistas. Acho a maior graça dos homens que terminam os exercícios e se olham no espelho com poses variadas, esquecendo do mundo e dos outros que estão olhando, para ver se estão "fortões".

Homem, pra malhar, veste bermuda, camiseta e um tênis. Tá pronto. Mulher não. Parece um desfile de moda. Calças estampadas, coladas, blusinhas e tops, tem toda uma parafernália que chega a ser engraçado. Mulher é bicho estranho, eu sei.

Essa coisa de emagrecer, de ficar linda, com corpão, isso é coisa da mídia, dizem por aí. No mais, o que importa mesmo é a saúde. Parece hipocrisia, mas não é não. Claro que beleza é bom e todo mundo gosta, mas o cuidado com o bem-estar tem que começar de dentro pra fora. O resto é consequência. Se você está bem, se come bem, se encara o dia bem, o corpo responde da mesma forma. Pode demorar, mas responde.

E quer saber? Acho um saco essa coisa de não poder comer isso, não beber aquilo. Ninguém, em sã consciência, pensa num prato de salada quando está com fome. Eu disse em sã consciência. Viva o sorvete, a pizza, o sanduíche e tudo de gostoso que engorda. Depois a gente caminha, caminha, caminha...

2 comentários:

Ale Quejinho disse...

Parabens pelo novo cantinho, tambem sou nova neste ramo de blog, mas estou aprendendo e amando conhecer pessoa interessantes e com os mesmos interesses que o meu.

Até a próxima cronica

Ale

Angela Bergamaschi disse...

Nayra,vivemos num mundo consumista, materialista e exibicionista onde só quem tem muito (no caso pouco ...pouco peso) a mostrar se acha superior ou melhor que todos .
Me lembro que antigamente mulheres belas e sexis tinha que ter "carne", hoje se nao tiver corpo de gafanhoto nao sao belas .Todo mundo se esquece que nao temos a eternidade , que ficamos velhos e nosso corpo muda...ai começa a briga com si mesmo para se manter jovem e vivem nesse martirio de saladas e peito de frango grelhado esquecendo o melhor de tudo : se souber comer , pode tudo...bem , adorei sua cronica de hoje, retrata muito bem a vida de quem quer perder peso a qq custo...bjos